Exposição propõe uma viagem no tempo através da ciência

DSC_3904

Centro Climático/ Foto: Salomé Ferreira

Abriu ao público, no dia 9 de novembro, a Exposição Permanente do Centro de Ciência de Vila Real. A inauguração deste espaço complementa mais uma fase do Centro de Ciência, projeto que custou 1,6 milhões de euros e que resultou de uma parceria entre a autarquia e a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD). Rui Santos, presidente da Câmara de Vila Real, acredita que a exposição é o “ponto de viragem” para este espaço, sendo “uma obra que orgulha Vila Real e os vila-realenses”.

A Exposição Permanente do Centro de Ciência, situado no Parque Corgo, pretende contar a história da formação do território transmontano e duriense, vista através da perspetiva da ciência. Carlos Lima, responsável pelo Centro de Ciência, explica que quem visita a exposição, “pode encontrar sobretudo conhecimento”, afirmou.

A apresentação encontra-se dividida em seis módulos que convidam o visitante a fazer uma viagem no tempo e que abordam áreas como a geologia, a hidrologia, a botânica, a zoologia, o clima, as paisagens e a energia. O objetivo é explicar como é que a conjugação de vários acontecimentos e fenómenos científicos levaram à formação do território como hoje o vimos.

Primeiro Módulo: Geologia

Primeiro Módulo: Geologia

A viagem começa com um vídeo em 3D que procura explicar a formação do universo. Segue-se o primeiro módulo que aborda a geologia e que tem como finalidade contar a história de todas as eras que estiveram na origem do planeta e mostrar a evolução das paisagens.

O módulo seguinte debruça-se sobre a água e através da tecnologia e interatividade procura explicar a história da criação do Vale do Corgo e da Bacia do Corgo. A biodiversidade é o próximo ponto da visita e pretende reunir todas as espécies de fauna e flora características da região. A carruagem é o ponto alto da exposição e aborda as paisagens da região. No último módulo o visitante encontra abordada a questão das energias renováveis.

Rui Santos acredita que esta exposição “é um ponto decisivo para que este espaço seja de facto um Centro de Ciência”, afirmou. “Esta apresentação dar-lhe-á substância, conteúdo e será com certeza um espaço a visitar por todos os nossos jovens quer do concelho de Vila Real quer da região de Trás-os-Montes e Alto Douro”, acrescentou o autarca.

O Centro de Ciência de Vila Real realizou-se em parceria com a UTAD, que ficou encarregue de todo o conteúdo científico da exposição. “O papel da universidade neste centro foi facilitar e fazer todo o conteúdo científico que podemos ver aqui, o conhecimento foi todo feito por uma equipa da UTAD”, explicou Paula Oliveira, coordenadora da equipa da universidade.

“Além desta exposição permanente estamos envolvidos também em todas as atividades cientificas que as escolas vêm ver ao Centro de Ciência de Vila Real. A UTAD tem vindo a formar pessoas para irem acompanhando crianças nestas atividades e portanto estamos diariamente envolvidos com o centro de ciência”, afirmou ao VivaDouro Paula Oliveira.

Rui Santos acredita que esta parceria com a universidade é fundamental, “eu sempre disse que Vila Real é a UTAD e a UTAD é Vila Real. É um erro separar Vila Real da universidade”, afirmou. “Este é um grande projeto onde temos a envolvência da universidade, também aqui viramos a página e fazemos história em Vila Real”, acrescentou o autarca.

O município mantém a intenção de integrar este espaço na rede nacional de centros de Ciência Viva. “É um processo que está em andamento, o Centro de Ciência Viva é o que aqui temos, pode haver aqui um ou outro acerto relativamente ao manuseamento de uma ou outra experiência mas isso está a ser feito por uma comissão científica, onde pontifica a UTAD e também o Pavilhão do Conhecimento”, revelou Rui Santos.

A exposição está aberta ao público de segunda a sexta-feira, entre as 9h e as 12:30h e as 14h e as 17h30, sendo de entrada livre. A partir de janeiro estará também aberta aos fins-de-semana.

 

 

 

 

 

 

 

, , , ,