IP extingue equipa de manutenção ferroviária da Régua

A Infraestruturas de Portugal – IP vai substituir 33 trabalhadores afetos à manutenção da via férrea por empresas privadas prestadoras de serviços.

De acordo com notícias veiculadas ontem, um dos centros de manutenção que será extinto será o da Régua, situação que desagrada a José Manuel Gonçalves, autarca reguense.

“A IP continua a delapidar património naquilo que era a sua capacidade instalada. Fazer isso para privatizar este serviço não me parece a melhor solução. O anunciado encerramento do centro da Régua obviamente que não me agrada”.

Em declarações em exclusivo ao VivaDouro, José Manuel Gonçalves diz ainda que “o caminho deveria ser exatamente o oposto, haver mais investimento na ferrovia, é um setor fundamental na estratégia futura do país”.

Quem também já criticou está decisão foi a Comissão de Trabalhadores que, no caso do Centro da Régua, vê com grande preocupação uma vez que a Linha do Douro “tem especificidades geotécnicas únicas devido à orografia do terreno.”

Em comunicado a Comissão de Trabalhadores da IP afirma ainda que esta decisão “contraria tudo o que deveria ser a verdadeira estratégia para a manutenção das linhas”.

Os funcionários que serão substituídos têm como tarefa vigiar os troços das vias ferras, identificando os problemas e procedem a obras de manutenção.

Por seu lado a IP sustenta a sua decisão afirmando que esta medida de substituir trabalhadores por empresas privadas dará mais garantias de melhores resultados em termos de inspeção, diagnóstico e fiscalização.

, ,