Município de Vila Real une-se à Associação Comercial e Industrial para revitalizar o comércio tradicional

Município de Vila Real une-se à Associação Comercial e Industrial para revitalizar o comércio tradicional/ Foto: Direitos Reservados

Município de Vila Real une-se à Associação Comercial e Industrial para revitalizar o comércio tradicional/ Foto: Direitos Reservados

O município de Vila Real e a Associação Comercial e Industrial de Vila Real assinaram, no dia 7 de abril, um protocolo de cooperação que visa promover a recuperação e revitalização da zona histórica e do comércio tradicional.
“Este acordo agora oficializado surge duma vontade comum de recuperar esta zona, onde no passado se concentrava a maior parte do comércio de proximidade e que atualmente, em consequência de diversos fatores, tem vindo a enfraquecer, nomeadamente com o encerramento de muitos estabelecimentos comerciais, o que por si só limita a procura”, informa a autarquia.
Assim, através deste acordo de parceria “o município irá reforçar o apoio dado à Associação Comercial e Industrial de Vila Real, para que esta possa ser mais eficaz na ajuda aos seus associados e comerciantes”.

Por sua vez a Associação Comercial e Industrial de Vila Real “compromete-se a apoiar as entidades competentes na gestão do tráfego automóvel na zona do centro histórico e comercial e também apoiar os comerciantes na gestão das cargas e descargas de mercadorias”, revela o município em comunicado.
Trata-se de duas ações que serão levadas a cabo com vista a terminar com o abuso do estacionamento nas zonas pedonais. A Associação Comercial  e Industrial compromete-se ainda a reforçar o trabalho, em conjunto com o Município, na definição de políticas de desenvolvimento estratégico tendentes a transformar o centro histórico numa zona mais atrativa, bem como reforçar as ações de promoção, dinamização e animação da área do centro histórico e comercial, e simultaneamente auxiliar o Município na capacidade de resposta à manutenção do espaço público.
Olhando para a definição de políticas públicas que potenciem essa área, nomeadamente aquelas que dependem da atuação do Município, “verifica-se que foram dados passos importantes”. A diminuição em 50% do imposto municipal Derrama para os pequenos negócios, ou uma série de benefícios fiscais ao nível do IMI, do IMT, do IVA e até do IRS, para quem faça a reabilitação de edifícios dentro da ARU – Área de Reabilitação Urbana – do Centro histórico, “demonstram que o Município considera a recuperação desta parte da cidade como prioritária e a distingue positivamente”.

 

, , , ,