Penedono viajou até à “Memória dos Tempos Medievais”

Foto: Salomé Ferreira

De 30 de junho a 2 de julho o centro histórico da vila de Penedono foi mais uma vez palco da Feira Medieval, evento que leva anualmente milhares de visitantes até ao concelho.

Organizada pela Câmara Municipal, esta iniciativa destaca-se pelo “rigor histórico” e pela preservação da autenticidade da história do concelho.

Ao longo de três dias Penedono embarcou numa autêntica viagem no tempo e evocou as “Memórias dos Tempos Medievais”, transportando quem visitou a vila por estes dias até uma verdadeira aventura medieval.

O cenário era “encantador”. Com o castelo como testemunha e o centro histórico como palco de toda a iniciativa, ouviam-se pelas ruas do “Reino de Penedono” os pregões dos almocreves, a música dos bobos, os gritos dos guerreiros e os clamores da justiça medieval.

Desde nobres, monges, mercadores, jograis e cavaleiros destemidos, várias foram as personagens de outros tempos que invadiram as ruas que circundam o “imponente” castelo de Penedono.

Para além das personagens alusivas à época medieval, também a população local saiu à rua e se vestiu a rigor para participar num dos eventos que mais visitantes leva até à vila.

Carlos Esteves de Carvalho, presidente da autarquia, deu o exemplo e também ele participou ativamente nas diversas atividades e recriações históricas realizadas no certame.

“Eu não sou capaz de pedir algo que eu não faça, por isso se peço às pessoas para participarem não há nada melhor do que dar o exemplo. O facto de eu ser presidente de Câmara não me põe em nível superior relativamente a qualquer cidadão que participa neste certame”, confessou ao VivaDouro.

O autarca faz um balanço “bastante positivo” desta edição do evento. “As pessoas vieram até nós, conseguimos um figurino de animação bastante agradável, com algumas experiências novas, e por outro lado, a nível de animação musical, conseguimos juntar aqui o que de melhor há no país neste tipo de música”.

Entre as várias atividades realizadas ao longo dos três dias do certame o edil destaca o célebre assalto ao Castelo por alguns escudeiros mandados por El-Rei de Castela, e a entrega da Carta de Beetria que representa o momento da História da vila em que as suas gentes entenderam escolher um senhor que protegesse a terra e o seu castelo muito ameaçados pelos inimigos do rei. Para além disso destaque ainda para o habitual banquete Medieval, onde se degustaram as iguarias e os sabores medievais.

Ao longo dos três dias decorreram inúmeras atividades e recriações históricas, onde marcaram presença os malabaristas, saltimbancos, encantadores de serpentes, trovas e cantigas, tambores e malabares de fogo, dança do ventre, teatros de rua, os leprosos, torneios de guerreiros, entre outras.

A juntar às recriações históricas, a feira contou ainda com diversas mostras de artesanato e produtos genuínos da região. Nesse sentido, eram vários os artesãos e mercadores individuais ou em representação de municípios ou associações a participar na edição deste ano da Feira Medieval de Penedono.

Testemunhos:

Patrocínia Carvalho, comerciante

“Este ano a feira correu muito bem, há muitas pessoas a visitar”.

Maria Hermínia, comerciante

“É uma feira muito importante para os comerciantes”

, , ,