Autárquicas 2017: Rescaldo da noite eleitoral na CIM-Douro

Terminada que está a contagem dos vontos em todos os concelhos abrangidos pelo território da CIM-Douro, o Viva Douro faz as contas finais desta noite eleitoral onde a reeleição de autarcas e projetos foi maioritária, mas também houve espaço para algumas surpresas.

A grande novidade da noite é o movimento independente “Pela Nossa Terra” (PNT) que, em São João da Pesqueira, ganhou a autarquia com 54.09% dos votos. Liderado por Manuel Cordeiro, o PNT já se tinha apresentado a eleições em 2013, chegando a eleger dois vereadores, entre eles o atual candidato.

Em Murça a noite também foi de mudança. José Maria Costa, atual presidente, falhou a reeleição para Mário Artur Lopes, candidato do PSD e atual Diretor Geral da Adega Cooperativa de Murça, CRL., que venceu com 47,82% dos votos, sensivelmente o mesmo resultado obtido pelo atual edil em 2013.

Em Lamego a festa do Partido Socialista só arrancou mesmo no final da contagem dos votos. Os resultados foram sofrendo diversas alterações à medida que as freguesias iam sendo apuradas, com PS, PSD e CDS-PP a disputarem o cargo autárquico.

Ângelo Moura acabou por ser o vencedor da noite com 37.93% dos votos, contra os 26.99% de Ernesto Rodrigues do PSD e os 24.97% de António Pinto Carreira do CDS/PP – PPM.

Nas restantes autarquias as vitórias foram o mote principal com destaque para alguns concelhos como Vila Real onde Rui Santos obteve uma vitória histórica.

Quatro anos após a sua primeira eleição, o atual autarca vila-realense, ganhou as eleições desta noite com 67.35% dos votos, garantindo 7 dos 9 vereadores autárquicos.

“Este resultado é um resultado histórico, é um resultado muito acima das nossas melhores expectativas, é um resultado que não era expectável, mas é um resultado que mostra que muitos mais acreditam neste grande projeto de felicidade para Vila Real”, afirmou Rui Santos ainda na sede de candidatura.

Resultado histórico foi também aquele que teve lugar em Peso da Régua com o PSD, liderado por José Manuel Gonçalves, a ganhar a autarquia pela quarta vez consecutiva, com 55.14% dos votos, dando assim continuidade a um projeto iniciado em 2005 com a eleição como numero dois de Nuno Gonçalves.

“É um sentimento de reconhecimento e gratidão dos reguenses para com este projeto que já tem 12 anos, a minha eleição é isso, é um projeto de continuidade, temos muito orgulho no passado e muita confiança no futuro”, afirmou José Manuel Gonçalves em exclusivo ao Viva Douro.

Ao Viva Douro, José Manuel Gonçalves afirmou ainda que, “apoiado em infra-estruturas sólidas e modernas como as que existem”, a grande preocupação no próximo mandato será o crescimento da “economia local”.

Em Sabrosa, Domingos Carvas viu a sua liderança legitimada nas urnas com uma vitória expressiva de 53.33%, cerca de 15 pontos percentuais à frente do segundo colocado, o PSD de António Araujo.

Em Alijó, José Paredes, atual vice-presidente da autarquia, venceu as eleições apoiado pela coligação PPD/PSD-CDS/PP, com um total de 44.69% dos votos.

“Lutamos contra dinossauros da política, pessoas que estiveram 20 anos no poder e que o queriam conquistar de novo, foi uma luta muito grande mas que conseguimos ganhar”, afirmou o novo autarca lijoense.

José Paredes destacou ainda “muito motivado” para o trabalho que se avizinha nos próximos anos, ate porque, como faz questão de sublinhar, “esta eleição traz uma grande responsabilidade”.

Em Mesão Frio, o destaque não são apenas os 61.55% com que Alberto Pereira venceu as eleições, no município duriense apresentou-se este ano, pela primeira vez, um candidato apoiado pelo Bloco de Esquerda, Mário Sousa Pinto, que conseguiu 12.78% dos votos.

Nos restantes concelhos a vontade pela continuidade acabou por ser regra, com um pequeno susto em Carrazeda de Ansiães onde o PSD caiu de uns confortáveis 64.01% dos votos em 2013, para os 48.44% nestas eleições, apenas 4 pontos percentuais acima do movimento de cidadãos, “Unidos por Carrazeda” (UC).

No que diz respeito aos dados da abstenção, a nível global da região atingiu os 34,19%, resultado melhor do que em 2013 onde foram ultrapassados os 36%.

O resultado mais alto de abstenção registou-se em Moimenta da Beira onde este valor chegou aos 43,8%, seguindo por Tabuaço e Tarouca com 40,6% e 40%, respetivamente.

No prato oposto da balança encontramos Freixo de Espada à Cinta onde a abstenção se ficou pelos 25,5%, crescendo mesmo assim em comparação com 2013 onde se registou apenas o valor de 23,22%. A completar o pódio dos concelhos com menor abstenção temos Mesão Frio com 29,6% e S. João da Pesqueira que ficou pelos 31,3%.

Relativamente à distribuição das autarquias por partido, a vitória vai para o PSD que conseguiu um total de 9 câmaras, seguido pelo PS com 6, a coligação PPD/PSD-CDS/PP com 3 e os independentes do PNT com uma.

Veja aqui todos os resultados das Autárquicas 2017 no território da CIM-Douro:

,