Cinco Autarcas da CIM Douro homenageados em Sernancelhe

No dia 25 de junho, sexta feira, decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho, em Sernancelhe, a cerimónia de homenagem a cinco autarcas da CIM Douro que estão prestes a cessar funções. Os Presidentes distinguidos foram: Gustavo Duarte (Foz Côa), Carlos Esteves de Carvalho (Penedono), Alberto Pereira (Mesão Frio), José Eduardo (Moimenta da Beira) e Domingos Carvas (Sabrosa). A cerimónia contou ainda com a intervenção da Secretária de Estado da Valorização do Interior, Isabel Ferreira e com o Presidente da CIM Douro, e da Câmara Municipal de Sernancelhe, Carlos Silva Santiago.

Para o Presidente da Câmara Municipal de Foz Côa, Gustavo Duarte, este reconhecimento foi recebido “De muito agrado”, principalmente porque posso partilhar o momento com “Os outros quatro colegas autarcas”. O edil explica que foi “Uma ideia muito feliz do Carlos Santiago, que só prova a amizade e a camaradagem que existe entre os autarcas”. Com a perspetiva dos 12 anos de mandato, Gustavo evidencia que “Cada vez mais os autarcas trabalham em rede e já não há os ‘quintalzinhos’ que haviam antigamente”. O presidente não esconde a sua “Particular” satisfação ao mencionar ao nosso jornal que o Xisto do troféu é de Foz Côa, o que tornou o momento ainda mais especial para o edil. Gustavo Duarte sublinha que este tipo de eventos “Fica como exemplo para o futuro”.

Quanto a Carlos Esteves de Carvalho, Presidente da Câmara Municipal de Penedono, este reconhecimento simboliza o terminar de um “Percurso político”. O autarca demonstra-se sensibilizado pelo momento vivido, proporcionado pelo gesto do seu “Colega”, Carlos Silva Santiago. O edil refere que o momento serviu para reconhecer, o trabalho desenvolvido não só pelos homenageados, como também todos os edis que tem desenvolvido em prol da CIM Douro. Ao terminar, o responsável explica que se sente “Muito satisfeito e honrado”.

Outro autarca homenageado foi Alberto Pereira, do concelho de Mesão Frio. O Edil afirma: “Foi uma honra e sinto uma mistura de sentimentos muito forte, principalmente por receber este prémio das mãos de um Presidente que admiro e gosto muito, e que tem feito um trabalho notável pelas suas gentes e pelo seu concelho. Portanto, este é um reconhecimento ao fim ao cabo, pelo trabalho que fiz ao longo dos últimos anos, em prol do meu concelho e da Comunidade Intermunicipal do Douro”.

Estivemos à conversa com o Presidente José Eduardo do concelho de Moimenta da Beira, outro homenageado na tarde de sexta feira. O autarca, começou por explicar o quão especial é para si a Terra de Sernancelhe, “Gosto muito desta terra, desta gente e tenho aqui muitos amigos, inclusivamente alguns familiares” e reconhece que não haveria um lugar melhor para receber este reconhecimento que não fosse Sernancelhe. No entanto, faz questão de sublinhar que “Este reconhecimento não é para mim, é para todos. Para todos aqueles que me acompanharam, que me ajudaram, que me empurraram, que me fizeram acreditar em muitas coisas e que ajudaram a concretizar as ideias em que acreditávamos. Este reconhecimento se fosse apenas para mim, não teria grande sentido, porque julgo que não o mereço, mas merecem sim todas as pessoas que me acompanharam durante todos estes anos. E, portanto fico muito satisfeito, muito honrado, em nome de todos os que me têm acompanhado, por estarmos aqui a ser reconhecidos”.

Apesar de estar a sair por iniciativa própria e não por limite de mandatos, o Presidente Domingos Carvas, do concelho de Sabrosa, explica que sente que o seu dever está cumprido: “Tenho 24 anos de autarca, tenho seis mandatos e nunca perdi uma eleição. Senti-me sempre bem e neste momento, para além de motivos pessoais e do sentimento de dever cumprido, não tenho outros motivo para mencionar. A decisão foi tomada neste sentido de saída e sinto-me bem e, como dizia na minha intervenção, ‘Estranha é esta sensação de liberdade’ que nós já vamos sentindo”. Quanto ao prémio recebido refere que “É um orgulho receber este reconhecimento por parte do Presidente da Câmara de Sernancelhe. Um reconhecimento que não é para a pessoa em si, mas sim, para o território que represento”. O autarca sublinha ainda o facto de ser a primeira vez que cinco autarcas são homenageados fora do seu território e destaca o exemplo de liderança pela parte do Presidente Carlos Santiago: “É um exemplo do que se faz, como se faz e o porquê se faz. Ele provavelmente foi um mentor para alguns e vai deixar um traço indelével em todos nós pela sua qualidade e pela sua competência”. O edil termina explicando que ficou assente com a cerimónia que o que fica é as “Amizades, o respeito e o reconhecimento que o Presidente de Sernancelhe tem pelo seus colegas da CIM Douro”.

Nas palavras do anfitrião da noite, o Presidente da CIM Douro e da Câmara Municipal de Sernancelhe, Carlos Silva Santiago, este momento representa “O fim de um ciclo” e para o edil é “Justo reconhecer o trabalho” destes cinco homens. Carlos Silva explica que: “Nós não estamos isolados, é impossível um concelho sozinho afirmar que se desenvolve. Hoje, a região tem que ter dinâmicas de desenvolvimento”. O autarca explica que não fizeram mais do que a sua obrigação perante “Os meus cinco colegas que são meus amigos, confidentes e com os quais construímos um grupo de confiança, de coesão e de muito compromisso”. Na perspetiva do Presidente da CIM Douro, “é um reconhecimento público que é justo pela honestidade, pela dedicação, pela ambição, pela determinação, mas acima de tudo, pela vontade de todos eles, em conjunto (os que estavam sentados na mesa de honra e os que estavam sentados na plateia), todos esses tiveram e continuam a ter um sonho, de que estes territórios continuem a fazer parte daquilo que é o futuro de Portugal. Essa é a razão de nós termos feito esta iniciativa”.

A representar o governo, a cerimónia contou com a presença da Secretária de Estado da Valorização do Interior, Isabel Ferreira. “A primeira palavra que deixo é de agradecimento, porque para mim é muito importante realçar que a valorização do interior é uma missão conjunta e que se faz com o Governo, com os autarcas, com as empresas, com as Associações produtivas, com as entidades do sistema científico e tecnológico, com os nossos politécnicos e universidades. Em segundo lugar, deixo as maiores felicidades nas suas vidas futuras. Isso é o mais importante, que tenham a consciência de que fizeram o melhor, o que podiam e o que sabiam durante as suas funções. De facto, o que vemos aqui é uma colaboração que é essencial para os territórios, uma colaboração dentro de uma comunidade Intermunicipal, que nos transmite uma coesão que é muito importante a todos os níveis. A coesão territorial faz-se a partir da coesão em cada território em particular e, portanto, acho que é muito louvável esta homenagem, porque os autarcas têm um papel extraordinariamente importante nos seus municípios contribuindo para esta missão conjunta da valorização do interior.

Esta missão tem que ser realizada com todas as entidades que já referenciei, mas também com cada cidadão. Só ganhamos se trabalharmos em conjunto e cada Cidadão pode fazer a diferença nos seus territórios. Portanto se todos trabalharmos para os mesmos objetivos, certamente que conseguiremos atingi-los. Para o Governo é muito gratificante ver também como os territórios do interior têm sido muito resilientes. Quando nós estamos no interior vemos como ele tem evoluído, como se tem desenvolvido e como tem sido valorizado. E o interior de há 50 anos, não tem nada de parecido com o interior de hoje e, certamente, não terá nada de igual com o interior do futuro, que é um interior que todos nós queremos”.

Para ver mais imagens desta homenagem clique aqui.