Profissionais da Misericórdia aprendem a lidar com epilepsia

Foto: Direitos Reservados

Foto: Direitos Reservados

No âmbito do projecto “Escola Amiga da Epi”, os profissionais de educação da Misericórdia de Lamego passaram a ter conhecimento de como “acompanhar melhor as crianças com epilepsia e assumir um papel ativo no diagnóstico precoce desta doença”, afirmou a instituição.

O profissionais de educação da Santa Casa da Misericórdia, em particular aqueles que trabalham diariamente na creche, no jardim de infância e no Centro de Acolhimento Temporário (CAT), participaram numa ação de sensibilização sobre como lidar com crianças com epilepsia. Esta sensibilização decorreu no âmbito do projeto “Escola Amiga da Epi”, e teve como principal objetivo transmitir “informação que sensibilizou para a problemática da epilepsia em contexto escolar, especialmente importante pois é aqui que as crianças passam a maior parte do tempo e desenvolvem as competências psicossociais”, sublinhou a instituição em comunicado. Para além desta actividade, a  formação também teve uma componente prática, através da qual foram apresentados os “modos de segurança” a adotar no caso de surgirem crises convulsivas.

Estima-se que existam em Portugal cerca de 50 mil pessoas com epilepsia, na sua maioria crianças e adolescentes. Alguns estudos afirmam que a epilepsia pode estar associada a problemas de comportamento e aprendizagem, embora não revelem dificuldades no desenvolvimento psicossocial e cognitivo.

Ao aderir ao projeto “Escola Amiga da Epi”, a Santa Casa da Misericórdia de Lamego pretende que “estes profissionais de educação sejam capazes de potenciar o desempenho dos alunos com epilepsia, bem como de desfazer crenças e mitos profundamente errados sobre a doença e de mitigar os efeitos do estigma, usando a influência significativa que têm sobre os alunos para lhes transmitir conhecimentos e atitudes adequadas face à doença”.

, , , ,