“Projetos estruturantes” são a promessa da Santa Casa da Misericórdia de Lamego

Santa Casa da Misericórdia de Lamego | Foto: Direitos Reservados

Santa Casa da Misericórdia de Lamego | Foto: Direitos Reservados

O Plano de Atividades e Orçamento, da Santa Casa da Misericórdia de Lamego para o ano de 2016, foi aprovado por unanimidade, em assembleia-geral. Em comunicado, a instituição afirma que pretende “abraçar e desenvolver projetos estruturantes e de futuro, que visam reforçar a sua sustentabilidade a médio prazo”.

No quadro dos investimentos que vão ser executados ao longo do ano, o destaque é a requalificação do Lar de Idosos de Arneirós, “uma estrutura residencial cuja ala mais antiga será intervencionada para melhorar substancialmente as condições oferecidas aos utentes”, explicou a Santa Casa da Misericórdia. Este projeto será candidato à obtenção de fundos do Quadro Comunitário “Portugal 2020” e ao Fundo Rainha D. Leonor, uma parceria entre a União das Misericórdias e a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

O arranque do processo de licenciamento de criação de um complexo residencial, destinado a estudantes, na ilha do Bairro Amarelo, no Porto, é outra das estratégias da Santa Casa da Misericórdia para este ano, visto que o espaço pertence à instituição de Lamego. A requalificação de um edifício situado na Rua Nova, em Lamego, que se encontra degradado e em perigo eminente de ruína e a consolidação do processo de investimento na “Quinta de Lobrigos”, situada em Santa Marta de Penaguião, são outros dois projetos “fundamentais” para o ano de 2016.

A estimativa do orçamento para 2016 tem um total de despesas de 2.348.124,88 euros e de receitas 2.187.710,29 euros, com um saldo negativo de 160.414,59 euros. “O futuro terá progressivamente de passar por uma diversificação das fontes de rendimento, procurando alternativas/complementos das mesmas, para além dos recebidos através da Segurança Social e por uma forte e progressiva contenção de despesas”, explica o comunicado.

, , ,