Sétima edição do Piquenique da Família

Alcina Queirós, com o filho no piquenique/ Foto: Direitos Reservados

Alcina Queirós, com o filho no piquenique/ Foto: Direitos Reservados

No dia 31 de maio, o Parque Corgo, em Vila Real, recebeu milhares de pessoas na sétima edição do Piquenique da Família.

À medida que o tempo passava a paisagem ia-se modificando, as famílias iam chegando e os espaços verdes começavam a ficar preenchidos, dando lugar às toalhas de piquenique e às respetivas lancheiras.

A ideia surgiu há sete anos, através de um grupo de pais da escola Monsenhor Jerónimo do Amaral, com o objetivo principal de promover o convívio entre as famílias. “De dia para dia as vidas das famílias vão-se alterando, as pessoas passam cada vez menos tempo com as crianças e o resultado é que vamos chegar a um ponto em que os encarregados de educação das crianças vão ser as redes sociais, os jogos virtuais e a internet”, afirmou Justino Silva, mentor do evento.

Desta forma, o membro da organização considera que a iniciativa serve também para “explicar às famílias que podemos passar mais tempo com as nossas crianças”, declarou ao VivaDouro, acrescentando ainda que este é um evento,“emblemático, um exemplo que representa o Norte”.

Com o passar dos anos, a iniciativa passou a ser um dos eventos mais esperados da região, no entanto, uma das suas principais características, promover um ponto de encontro entre amigos e famílias, mantêm-se até agora. Justino Silva conta que o piquenique acaba por ser uma tradição que passa de geração em geração, “neste momento temos pessoas com 22 anos que já são pais, que tinham 15 anos quando vieram para este encontro e que agora já trazem com eles as crianças e vai chegar a um ponto em que as crianças vão trazer os filhos”.

De há três anos para cá o evento tem sido transmitido em direto na televisão,

As atividades eram variadas, desde o Air Bungee, escalada e rappel, para os mais aventureiros, até ao escorrega natural, promovido pelos Bombeiros da Cruz Branca de Vila Real, passando ainda por outras atividades tais como os insufláveis e os passeios a cavalo e de barco.

A PSP, a GNR, a Proteção Civil, os bombeiros de Vila Real e o Regimento de Infantaria 13 contribuíram também com várias demonstrações práticas.

Justino Silva considera que o número de pessoas a participar no evento tem aumentado de ano para ano, na opinião do membro da organização, “o piquenique é um marco, não de Vila Real, mas também de Trás-os-Montes”, afirmou ao VivaDouro. De acordo com Justino Silva, há pessoas que vêm de outros pontos do país de propósito para participarem na iniciativa, existem ainda aqueles “que foram para as grandes cidades há procura de melhores condições de vida e neste dia sabendo que é o piquenique voltam à sua terra”, explicou.

Para além dos novos participantes, também há aquelas famílias que já têm como tradição ir ao piquenique. É o caso de Afonso Correia que participa pelo terceiro ano consecutivo na iniciativa, “desde que voltei a viver em Vila Real venho todos os anos”, contou ao VivaDouro. Na sua opinião, tendo em conta, “a sociedade em que vivemos, cada vez mais individualista é bom haver estes eventos para haver confraternização entre as pessoas”, afirmou.

Também para Alcina Queirós, acompanhada dos seus dois filhos e marido, este é o 4.º ano que participa e considera que, “o convívio é sempre bom, aliado também à comemoração do dia da criança”.

Na opinião de Inês oliveira, 12 anos, “o mais importante é fazer amigos”, contou a jovem participante, ao mesmo tempo que explicou que todos os anos acaba por reencontrar as amizades que fez nos anos anteriores.

Para além das várias atividades, a feira contou ainda com a participação de várias empresas da região, “utilizamos também o evento para dar oportunidade às empresas de exporem os seus produtos com objetivo de fazerem algum negócio”, explica Justino Silva.

, , ,