Expodemo 2022: Quatro dias, mais de 30 mil visitantes, mais de 150 artistas e mais de 30 espetáculos

0

Foi o mais longo dos certames já realizados. O melhor e o maior de todos os que exaltam a maçã, em Moimenta da Beira. A 11ª edição da Expodemo, que passou de três para quatro dias, ocorreu de 15 a 18 de setembro deste ano de 2022.

Foram dias de sol incríveis, horas de festa sempre em ambiente efusivo. Correu tudo de feição!

Feito o balanço, estima a organização que mais de 30 mil pessoas terão passado pelo recinto. “Uma moldura humana todos os dias”, testemunha o Presidente da Câmara Municipal de Moimenta da Beira, Paulo Figueiredo, orgulhoso pelo regresso da feira, depois de dois anos de realizações em formatos digitais, por causa da pandemia de Covid-19.

O evento regressou para celebrar mais uma edição, enquanto festa de cultura e de negócios, festa de artes e de espetáculos de rua, festa de música, de teatro, dança, poesia, livros e de gastronomia, também de experiências enogastronómicas únicas, e ainda e sempre enquanto feira e festa de exaltação à maçã, fruto da terra, das raízes e da luz.

A Expodemo regressou ao espaço de sempre, mas agora totalmente renovado: a Praça do Tabolado, no miolo mais urbano e nobre da vila, que acolheu os dois palcos principais. Foi neles que aconteceram os concertos e os espetáculos mais marcantes. À cabeça, o de Pedro Abrunhosa, na noite de 16 de setembro. O largo esteve pejado, apinhado de gente… e de emoções! O músico, cantor e escritor de tantas canções que se juntam a tantos outros hinos, lendas e adágios, foi a estrela-maior, que a meio do concerto desceu do palco e misturou-se com o público. Foi o rubro!

Expodemo 2022

No outro palco, mesmo em frente aos Paços do Concelho, como sempre aconteceu, foi a tarde do Somos Portugal, da TVI, tarde de um sobe e desce de artistas populares durante quase oito horas de emissão em direto. E também de reportagens sobre o concelho e os seus produtos de maior valia. Foi no domingo, último dia do certame.

Entre os dois palcos, depois de saírem da praceta, no sábado à noite, houve magia chegada de França com a Compagnie des Quidams, que preparou para a Expodemo “FierS à Cheval”, um espetáculo que foi um sonho passageiro, uma procissão de imagens que começou com personagens estranhas, bizarramente vestidas, venezianos de ficção científica, orgulhosas de si mesmos… Em 30 segundos o mundo transformou-se numa atmosfera de imagens oníricas, as personagens transformam-se em fantásticos cavalos… Um homenzinho estranho, o “homem das pistas”, prestou-se aos jogos, às justas, às coreografias desta fantástica cavalaria… Uma criação musical original acompanhou o espetáculo. Sem palavras, mas com sons, sem barreiras, apenas atmosferas musicais.

Nos palcos, atuaram também Djs consagrados. Destaque para os Karetus e para as belíssimas performances de Guitos Live Percurssion, Verylight, e os residentes Piratas e Pedro Costa.

Um sublinhado ainda para as atuações do Grupo de Cantares da Câmara Municipal de Moimenta da Beira; e para os intensos desempenhos da Dança Criativa, Dezpassitos, Iurie Chifrosin Trio, Orquestra CemNotas, com a participação de Fábio Augusto, e da frenética banda SuperNova.

Mas houve também outros momentos de grande evidência, como as Provas de Maçãs, não fosse a Expodemo a Festa da Maçã; a Praça de Espanha, um espaço expositivo e de venda de produtos do país vizinho; o Pavilhão das Letras, que com debates à volta do livro, tertúlias, sessões de poesia e música erudita, enche de cultura a Expodemo; o Festival de estátuas vivas e de arte de rua; as tasquinhas; as provas de vinhos, algumas comentadas por especialistas de renome; os espaços infantis; a tradicional gastronomia; as atividades desportivas.

Ana Abrunhosa, Ministra da Coesão Territorial, este presente no arranque do certame, no final, em declarações ao VivaDouro a governante sublinhou a importância destes eventos na valorização dos produtos endógenos, destacando o papel dos autarcas.

“É muito importante que estes eventos regressem e mais uma vez devemos destacar o papel das autarquias. As pessoas estão ávidas deste convívio e estes certames são a oportunidade de mostrar aquilo que de melhor cada  concelho tem.

Aqui na Expodemo vimos do que é feito o coração de Moimenta da Beira: o vinho, a maçã, a metalomecânica, o granito, e tantas outras áreas de negócio. Isto é uma verdadeira montra. Depois é oportunidade de quem é de cá regressar à sua terra natal e de quem é de fora vir até cá conhecer estes territórios.

Dá trabalho, envolve despesa mas acima de tudo é um importante investimento que as autarquias fazem”.

Ana Abrunhosa referiu ainda que há diferentes desafios para os territórios do interior, como Moimenta da Beira, estando o Governo alertado para eles.

Aqui temos um desafio muito grande que é a falta de pessoas, temos que criar condições para que as empresas venham para estes territórios.

O Governo mudou recentemente a lei da emigração, simplificando a vinda e legalização de emigrantes. Neste momento alguém que queira vir trabalhar para o nosso país por um determinado período já o pode fazer sem tanta burocracia.

Há projetos estruturantes que exigem investimento público e para os quais devemos aproveitar os fundos europeus para abrir com apoios só dedicados aos territórios do interior, seja para apoio ao investimento, contratação ou às instituições do ensino superior, é o que estamos a preparar no âmbito do novo Quadro Comunitário.

Ana Abrunhosa falou ainda na Linha do Douro, afirmando que o Governo está “a trabalhar no projeto da Linha do Douro, em breve iremos reunir com os autarcas para propor uma solução”.

Também presente no certame moimentense esteve Carla Alves, Diretora Regional das Pescas e Agricultura do Norte (DRAPN), que se mostrou feliz por participar em mais um evento dedicado à agricultura, destacando o papel dos autarcas na promoção dos seus territórios e produtos endógenos.

“Estes são territórios bastantes rurais nos quais os autarcas, e bem, têm apostado neste tipo de eventos que ajudam a promover e escoar os produtos que aqui se produzem. Esta é uma ajuda importante que as autarquias podem dar à agricultura.

Temos tido eventos de grande nível um pouco por toda a região do Douro e esta Expodemo é mais um bom exemplo disso.

Moimenta da Beira é um dos maiores produtores de maçã no Douro, a par com Armamar. No total aqui temos mais de 1000 hectares de macieiras, representando no todo nacional cerca de 35% da produção de maçã.

Para além da maçã aqui estamos também na micro região do Távora Varosa que, apesar da sua dimensão produz um espumante de excelente qualidade. É para mim um gosto enorme e um prazer estar presente nestes eventos”.

Reconhecendo que “este ano não há motivos para grandes festejos”, Carla Alves mostrou-se confiante que o “o próximo quadro comunitário, o PEPAC, que entra em vigor a 1 de janeiro, seja um programa com uma diferenciação positiva para os territórios do interior”.

Homenagem à Ucrânia

No final da sessão inaugural da Expodemo, todos os presentes foram convidados a acompanharem o autarca Paulo Figueiredo e a Cônsul Ucraniana no Porto, Ponomarenko Alina, na inauguração de uma exposição fotográfica, de autores ucranianos com imagens antes e durante a guerra.

Visivelmente emocionada com o gesto da autarquia, a diplomata ucraniana afirmou à nossa reportagem que este era um momento “importante para mim e para todos os ucranianos. Esta exposição mostra-nos imagens da Ucrânia antes e durante a guerra, assim como diversos momentos da nossa história e a maior das nossas tragédias, o Holodomor”.

Expodemo 2022

Ponomarenko Alina fez ainda questão de deixar um agradecimento ao “Presidente da Câmara e a todos os que participam neste evento, pelo facto de se terem lembrado da Ucrânia e preparado esta exposição. Para nós, ucranianos, que estamos a viver o terror da guerra, momentos como este são muito especiais”. Deixando ainda um agradecimento ao Governo e a todos os portugueses “o facto de apoiarem a Ucrânia neste momento tão difícil”.

A Cônsul deixou ainda um desejo, “que todos possam regressar à Ucrânia em breve e já sem a guerra que os afastou do seu país”.