História e Cultura de Tabuaço dão o mote para jogo de tabuleiro

0
História e Cultura de Tabuaço dão o mote para jogo de tabuleiro

Quer ser proprietário de uma freguesia de Tabuaço? E de um museu do concelho? Com a criatividade de Cláudia Fonseca a ajudar, já poderá ser. A jovem natural de Tabuaço criou o “Tabuaço – O Jogo”, um jogo de tabuleiro que varia entre o Monopólio e a Trivia.

Em conversa com o VivaDouro, Cláudia Fonseca conta que a ideia  de criar este jogo surgiu no primeiro confinamento decretado pela pandemia quando “não havia muito para fazer”. A certa altura, continua, “decidimos jogar Monopólio e eu lembrei-me de trocar tudo o que conseguisse, por conteúdos sobre Tabuaço. No dia seguinte, fiz uma montagem no computador e imprimi em papel para jogarmos novamente, já com as localidades de Tabuaço.

Um momento acompanhado de perto pelo futsalista campeão da Europa e do Mundo, Fábio Cecílio, também ele natural de Tabuaço e “padrinho” do projeto.

“O Fábio Cecílio é um jogador de futsal natural da aldeia de Barcos, que pertence a Tabuaço, e é uma das caras que leva o nome de Tabuaço mais longe, devido a todas as conquistas que já conseguiu como futsalista. Para além disso, foi sem dúvida um impulsionador do jogo. É uma pessoa próxima de mim que acompanhou todo o processo e apoiou.

Na altura da quarentena quando surgiu a primeira versão em papel, o Fábio estava lá e também jogou. Ele partilhou uma foto do jogo nas suas redes sociais e houve imensa gente a perguntar onde tinha comprado porque também queriam. A verdade é que é só por causa dessa partilha que o jogo realmente existe, pois não estava nos meus planos torná-lo real”.

A transição para a realidade trouxe alguns desafios a Cláudia Fonseca, em especial as perguntas que surgem durante o jogo, “são 30 perguntas, claro que tentei não ser muito óbvia em algumas, para tornar o jogo um pouco mais complicado”.

O conceito é semelhante ao clássico Monopólio, com compra e venda de propriedades, à banca e entre jogadores, até que um consiga levar os restantes à falência. “Tem ainda serviços públicos e deveres cívicos, perguntas e cartas do trevo”.

“Talvez a parte mais interessante do jogo são as perguntas sobre o concelho. Pontualmente serão lançadas novas perguntas para que não sejam sempre as mesmas. Há muita curiosidade que os Tabuacenses desconhecem”.

Até ao momento Cláudia Fonseca vendeu as 20 unidades que tinha desenvolvido, “não fiquei nem com um para mim”, conta-nos.

“Neste momento já estou a produzir mais e já tenho quase 20 reservas para vender assim que chegarem. Quem estiver interessado pode comprar enviando mensagem através da página de Facebook “Tabuaço – O Jogo”, ou entrando em contacto com a Tabdima, uma empresa de Tabuaço que me ajudou a produzir o jogo.

Para além da Tabdima, tenho outros patrocinadores e sem eles, seria tudo muito mais difícil, sou muito grata a quem acreditou neste projeto desde o primeiro momento”.