Rancho de Fafel dinamiza novo Centro Cívico de Lamego

0
Rancho de Fafel dinamiza novo Centro Cívico de Lamego

O antigo matadouro de Lamego vai renascer como um moderno Centro Cívico que terá o Rancho Regional de Fafel como entidade residente.

O Município de Lamego e a Associação Recreativa de Fafel celebraram um contrato de comodato que permitirá que esta associação desenvolva as suas atividades neste local, durante os próximos cinco anos. O documento poderá depois ser renovado, caso haja acordo entre as duas partes.

O Município de Lamego reabilitou o antigo matadouro municipal com o objetivo de criar um novo polo de criatividade e cultura na cidade, pondo fim ao seu antigo estado de abandono. “O Rancho de Fafel, uma associação de grandes pergaminhos, dispõe agora de instalações condignas para a realização do seu programa de iniciativas e para expor o que foi acumulando, nos últimos anos, no plano material e no plano imaterial, devolvendo deste modo à comunidade o que foi investido”, afirmou Francisco Lopes, Presidente da Câmara Municipal de Lamego, após a entrega simbólica das chaves do edifício.

“Somos um grupo muito coeso e tudo vamos fazer para garantir o melhor uso destas instalações”, garantiu Joaquim Neves, Presidente da Associação Recreativa de Fafel.

Com características arquitetónicas da primeira metade do século XX, o novo Centro Cívico encontrava-se num estado de total abandono e ruína, servindo nas últimas décadas para depósito de diversos materiais e de veículos abandonados recolhidos na via pública

O projeto de reabilitação incidiu no corpo central do edifício e em duas alas laterais de menor porte, para além de um logradouro. A intervenção teve a preocupação de articular o edifício com o futuro Parque Urbano, a maior zona verde pública da cidade, que a Câmara Municipal de Lamego está a construir.

Adjudicada à firma “Manuel Pereira da Cruz & Filhos”, pelo valor de 824 mil euros, mais IVA, a obra foi concretizada no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), cofinanciado em 85% pelo FEDER. Dado o seu interesse arquitetónico e urbanístico, esta requalificação integra o Plano de Ação de Regeneração Urbana (PARU) da cidade de Lamego.