Romaria de Portugal regressou e levou milhares a Lamego

0
Romaria de Portugal regressou e levou milhares a Lamego

Após dois anos em que a realização das Festas em Honra de Nossa Senhora dos Remédios esteve suspensa devido à Covid-19, o regresso deste ano ficou marcado pela forte afluência que os diversos momentos registaram.

Musica, animação, mostra de artesanato, gastronomia, vinhos, eventos desportivos e culturais, mas sobretudo um forte pendor religioso, são já imagem de marca daquela que é conhecida como “A Romaria de Portugal”.

No total foram 16 dias de festa, entre 25 de agosto e 9 de setembro. Ao longo do programa vários foram os momentos de interesse, desde o festival Zigurfest, aos concertos de José Cid, Sons do Minho, Carolina Deslandes e os Quatro e Meia, a concentração motar, torneios desportivos, eleição de Miss Viseu e, os mais significativos, a Grandiosa Marcha Luminosa, a Batalha das Flores e a Majestosa Procissão de Triunfo, sempre carregadas de enorme simbolismo.

Após a suspensão dos últimos dois anos, a Igreja das Chagas, propriedade da Santa Casa da Misericórdia de Lamego, abriu de novo as suas portas para os fiéis poderem venerar a Nossa Senhora dos Remédios e os andores que ornamentam a Majestosa Procissão de Triunfo.

Durante semanas, uma equipa orientada pelo Padre Fernando Albano Cardoso assumiu a responsabilidade de realizar os últimos trabalhos de pintura, carpintaria e marcenaria necessários para que o desfile tivesse a máxima dignidade e beleza possíveis.

Como é tradição, foram cinco os quadros sagrados que estiveram em exposição até ao início do cortejo que marca o momento mais solene das Festas em Honra de Nossa Senhora dos Remédios.

“São João Paulo II Centenário”, “Coroação de Nossa Senhora – Rainha de Portugal”, “Visitação – Ano da Juventude”, “Assunção de Nossa Senhora” e “Nossa Senhora dos Remédios” foram os nomes escolhidos, este ano, para os andores que integraram o desfile religioso dedicado à “Jornada Mundial da Juventude”.

Remontando a 1894, a Majestosa Procissão de Triunfo é conhecida em todo o mundo pelo facto dos andores que ostentam as imagens sagradas serem transportados por juntas de bois, uma característica sancionada pela Sagrada Congregação dos Ritos da Santa Sé, após pedido formulado pela Irmandade dos Remédios. Existem outras procissões com animais, no entanto, esta é a mais antiga e tem autorização papal.

Além disso, é adornada por mais de 200 figurantes, incluindo crianças, que encarnam “anjinhos” e figuras bíblicas, tornando este ato ainda mais rico do ponto de vista estético.

Este ano, a Majestosa Procissão de Triunfo voltou a atrair milhares de peregrinos que se associaram a esta celebração religiosa, num autêntico hino de louvor, fé e devoção popular.

Dedicada ao tema da “Jornada Mundial da Juventude – 2023”, a Procissão de Triunfo voltou, como é tradição, a sair da Igreja da Misericórdia de Lamego para percorrer, em absoluto silêncio, as principais ruas da cidade.

Para o autarca lamecense, Francisco Lopes, “Lamego viveu umas festas vivas, dinâmicas e muito participadas. A Câmara Municipal de Lamego fez um grande esforço, este ano, para devolver a Romaria a todos os lamecenses.

Foram 16 dias vividos intensamente pela população. Quisemos que a cidade estivesse completamente preparada para receber tantos visitantes: com decoração, iluminação, diversas mostras de artesanato, gastronomia, animação permanente, e conseguimos”.

Francisco Lopes explicou ainda que o investimento feito pela autarquia para esta celebração foi compensado pelo retorno que teve na economia local com os milhares de visitantes que se deslocaram até à cidade de Lamego.

“Foi um investimento que teve um retorno enormíssimo e que foi necessário para que a cidade tivesse muita vida. Tivemos muitas pessoas de concelhos vizinhos e muitos turistas em visita à região e que tiveram curiosidade em perceber o que é que é esta Romaria”.