Tempos medievais dão vida à cidade das cortes

 

Feira Medieval de Lamego

Feira Medieval de Lamego

Durante os dias 19, 20 e 21 de junho, as ruas da zona alta da cidade encheram-se de festa, música e entretenimento com mais uma edição da Feira Medieval de Lamego, que se realizou junto da Praça do Comércio e que foi visitada por milhares de pessoas ao longo dos três dias.

A Feira Medieval de Lamego é sinónimo de ambiente festivo e repleto de animação, onde dezenas de mercadores, artesãos, artífices e místicos protagonizam a recriação do comércio, das artes e dos ofícios dos tempos antigos. Os sons das flautas, dos cornetos medievais e os berros garridos dos cavaleiros fizeram lembrar à população que chegou mais uma feira medieval. As “barraquinhas” tradicionais foram um ponto de visita obrigatório para quem passeou nas ruas lamecenses, prontos para viajar no tempo e redescobrir uma das mais antigas cidades do país.

Esta época medieval começou no dia 19 de Junho, pelas 17 horas, com o auto de abertura da feira e ainda algumas atividades como os bobos acrobatas e o saltimbanco da Charneca, que com as suas improvisações, recebeu calorosos aplausos daqueles que iam chegando para começar a viagem no tempo. Ao longo da noite, músicos, malabaristas, danças do ventre, cuspidores de fogo e o torneio medieval apeado, juntaram centenas de pessoas na zona mais alta e antiga da cidade, num ambiente repleto de animação e entretenimento. Demuus, um espetáculo de fogo, encerrou este dia que recebeu visitantes de toda a região.

Animações na Feira Medieval

Animações na Feira Medieval

Leopoldina Silva, uma das comerciantes presentes, que já participa nesta feira há alguns anos, afirmou que apesar do “período ser um bocadinho difícil, como todos sabemos, temos que mostrar o que a nossa terra tem”, acrescentando que o balanço desta feira foi “bastante positivo”. Para José António, produtor de licores na região, foi a primeira vez que participou na feira medieval e confessou que “o tempo disponível para este tipo de exposições nem sempre é muito”, salientando que foi uma presença positiva “porque as pessoas acabam sempre por levar uma lembrança”. Armando Ferreira, comerciante da cidade, que participa todos os anos na Feira Medieval, revelou que apesar de já terem existido “anos melhores”, a “Câmara está a fazer um bom trabalho, isto é engraçado”.

O sábado começou com o auto da abertura do mercado, sempre em animação com arruadas pelas ruas ocupadas pela Feira Medieval, seguindo-se o torneio medieval a cavalo e apeado que juntou centenas de aficionados pela modalidade. A demonstração de armas e treino dos jovens infantes foi também uma das principais atratividades, que despertou a atenção de muitas pessoas que por ali passavam. Nesta segunda noite medieval, as ruas estavam apenhadas de visitantes, que passeavam pelos becos, ruas e ruelas, visitando todas as barraquinhas presentes na feira e à espera do espetáculo “Malatish/Anymamund” de malabaristas e cuspidores de fogo que captam sempre todas as atenções e colecionam elogios de pessoas que olham atentamente para todos as proezas que conseguem fazer.

Música na Feira Medieval

Música na Feira Medieval

Segundo a Câmara Municipal de Lamego, durante estes três dias surge a “recriação histórica dos tempos de D. Afonso Henriques e as cortes de Lamego”, acrescentando que a Feira Medieval ajuda a “aumentar a atratividade do bairro do Castelo e dinamiza a atividade económica do concelho”.

No domingo, a “mostra de armas e treino da guarnição castrense face à ameaça de um assédio castelhano”, foi um dos pontos altos, com centenas de pessoas a visitar o evento e a aproveitar este último dia na aventura dos tempos medievais. A feira encerrou às 23 horas com um espetáculo de malabarismo de fogo denominado “chama da fada”, aplaudido pelos presentes e simbolizando o fim do certame.

, , , ,