Trabalho em rede em debate no III Encontro de Associações do Vale do Douro

Paulo Noronha, José Manuel Gonçalves, Paulo Costa, Luís Machado e Manuela Pires / Foto: Salomé Ferreira

O Auditório Municipal do Peso da Régua recebeu, no passado dia 28 de janeiro, o III Encontro de Associações do Vale do Douro. O encontro reuniu mais de uma centena de representantes de associações da região para encontrar formas de trabalhar em rede, tendo resultado numa proposta concreta para o estabelecimento de uma rede de associações no Douro.

O trabalho em rede foi o mote para o III Encontro de Associações, uma organização conjunta da Associação Vale d’Ouro com o Município do Peso da Régua, que “superou mais uma vez as expetativas” da organização com a participação de mais de uma centena de associações.

Luís Almeida, presidente da Associação Vale d´Ouro, revela que o trabalho em rede “é uma necessidade que a região tem”, explicou ao VivaDouro.

“Nós esperamos que hoje as associações percebam as grandes vantagens de estarem viradas de frente umas para as outras e não de costas voltadas e que daqui surjam, eventualmente, algumas ideias”, acrescentou.

A tarde de trabalhos no Auditório Municipal do Peso da Régua foi dividida em dois painéis distintos. O primeiro painel, moderado por Paulo Costa, contou com José Manuel Gonçalves, Vice-Presidente da Câmara Municipal da Régua; Luís Machado, da Rota da Estrada Nacional 2 e Presidente da Câmara de Santa Marta de Penaguião; Paulo Noronha da CIM Douro e Manuela Pires da Associação Douro Histórico.

Na base da discussão lançada por este painel esteve a diversidade de experiências de trabalho em rede sob a perspetiva de diferentes instituições trabalhando com parceiros diversificados em âmbitos geográficos distintos.

O segundo painel, moderado por Luís Mendonça, pretendeu sobretudo apresentar exemplos concretos de associações cujo trabalho assenta em redes por elas criados. Foi o caso do Rancho Folclórico de Godim com Marco Silva, do Grupo de Teatro Lazarim com Paulo Fernandes e da Associação 2000 para o Desenvolvimento – A2000 com António Ribeiro. Estas três instituições mostraram de que forma as suas redes de parceiros formais ou informais contribuem para o seu trabalho e para o cumprimento da sua missão estatutária.

José Manuel Gonçalves, Vice-Presidente da Câmara Municipal do Peso da Régua, defende que falta organização para que o trabalho em rede funcione na região, “a partir do momento que nos organizemos conseguimos trabalhar em rede e podemos potenciar. Se não nos organizarmos isso não é possível”, afirmou ao VivaDouro.

Na opinião do autarca a região carece de programas de animação para os turistas, sendo que José Manuel Gonçalves defende que “as associações têm de dar um salto na vertente cultural” para que seja colmatado este problema.

“Sabemos que temos um conjunto de associações na região que por si só não têm capacidade de se afirmar, se nós trabalharmos em rede podemos potenciar e fazer crescer as associações, combatendo assim uma falha da região, a falta de animação e de oferta no turismo, nomeadamente cultural”, explicou.

Paulo Noronha, Secretário Executivo Intermunicipal da CIM Douro, explica que nesta associação de fins múltiplos e de âmbito territorial, que agrega 19 municípios, o trabalho em rede passa “pela vontade do que os municípios pretendem e pela realização dos interesses comuns aos Municípios que integram” a Comunidade Intermunicipal.

“Mais do que criar a rede o nosso papel é, depois da rede já criada, garantir algumas condições para que ela possa funcionar e aí estamos sempre disponíveis para apoiar num conjunto de iniciativas”, explicou ao VivaDouro.

Rede de associações pode vir a ser uma realidade no Douro/ Foto: Salomé Ferreira

Rede de associações no Douro pode vir a ser uma realidade

A tarde terminou com a intervenção de Luís Almeida da Associação Vale d’Ouro a apresentar uma proposta concreta para o estabelecimento de uma rede de associações na região. De acordo com a organização, diversas instituições mostraram interesse no projeto que pode vir a ser implementado em breve.

Este projeto pretende promover a qualificação e melhoria do produto cultural da região do Douro, a sua distribuição pela região e eventualmente pelo país, a criação de escala que permitirá uma melhor comunicação e divulgação dos eventos e uma gestão integrada da atividade cultural da região.

Luís Almeida acredita que o trabalho em rede já existe na região mas de uma forma informal, “quase todas as associações têm as suas redes de contactos de forma individual, o que nos achamos é que se materializarmos isso de forma mais eficaz e não de forma individual, mas com todas as associações, conseguimos criar uma rede de tal forma grande que vai permitir também resolver as necessidades culturais da região e melhorando o trabalho que as associações fazem”, afirmou ao VivaDouro.

Esta rede surge no âmbito de um trabalho conjunto entre a Associação Vale d´Ouro e o município do Peso da Régua e estima-se que inicie atividade no terceiro trimestre deste ano.

 

 

, , , , ,