25 de Abril, sempre!

0
Domingos Nascimento

Dar futuro a quem já tem muito passado!

“Só há Liberdade a sério, quando houver: A paz, o pão, habitação, saúde, educação”, carinho, amparo e inclusão!

Vivemos um problema:

De mãos atadas, fragilizadas pelo tempo, mas de cabeça bem levantada, muitos dos nossos concidadãos estão presos nos silêncios das suas próprias casas.

No escuro do desamparo, vivem dias desassossegados pela inquietação da tempestade da desertificação humana. Sozinhos, sem ruídos de vida por perto.

Desejam ali estar. A sentir a sua vida. No lugar que mais gostam. No seu meio.

É ali que devem poder continuar.

Já não têm retaguarda familiar. Alguns nem vizinhos. O apoio social, embora muito importante, está desajustado das suas necessidades, e é caro para as possibilidades destes seres humanos que tanto trabalharam.

E qual seria a solução?

Felizmente a democracia fez do Poder Local autênticas estruturas humanas de amparo a outros seres humanos.

Sempre que tenho a oportunidade de recordar, voltando a sentir no terreno, a importância dos presidentes de junta de freguesia, sinto que a solução está ali.

A proximidade destes autarcas tem sido cada vez mais marcante, muito particularmente para as pessoas de maior idade que resistem em viver nas nossas aldeias.

É à escala da freguesia que muitos problemas podem ser resolvidos e promover-se a Liberdade de escolha às pessoas isoladas ou em situação de vulnerabilidade.

Ficarem o mais tempo possível nas suas casas, tem que ser um direito!

Urge “mudar e decidir”. Financeiramente apoiadas para que tal seja possível concretizar, as freguesias deverão ter ao serviço das pessoas Cuidadores Comunitários profissionais capazes de cuidar e proteger.

O amparo dos mais velhos é uma obrigação da democracia!

Precisamos de ter coragem para fazer revolução e abrir as portas à inovação.

Comemorar Abril é, no interior de Portugal, lutar contra o desamparo humano!

Dar futuro a quem já tem muito passado!