A saúde do coração está nas nossas mãos

São vários os fatores que podem contribuir para o aparecimento das doenças do coração, abordaremos dois deles: a hipercolesterolémia (colesterol total elevado) e a hipertensão arterial. Ambos são passíveis de ser controlados não só com medicação, mas principalmente com pequenas mudanças ao nível do estilo de vida.

Todos temos a gordura colesterol no sangue, no entanto, ter o colesterol demasiado elevado aumenta o risco de entupir uma artéria, o que pode resultar num enfarte ou num acidente vascular cerebral (AVC). Embora o colesterol total elevado possa ser uma doença hereditária, na maior parte das situações é controlável através de mudanças comportamentais que só dependem de nós, como por exemplo: consumir regularmente gorduras e vegetais, não fumar, reduzir as gorduras saturadas da alimentação (ex: carnes vermelhas, leite gordo, banha e manteiga) e manter atividade física regular. Um estudo realizado pela Fundação Portuguesa de Cardiologia em 2018 concluiu que cerca de 97% dos portugueses sabe de uma forma genérica o que é o colesterol e perto de 70% conhece os valores normais. Os portugueses reconhecem ainda, a importância da prática regular de exercício físico na prevenção e tratamento do aumento do colesterol.

Outro fator de risco importante para o coração é a hipertensão arterial, também chamada tensão alta. Se mantivermos a tensão arterial dentro de valores considerados normais, podemos estar a reduzir o risco de doença cardiovascular. Tal como o colesterol, também a tensão arterial pode ser mantida dentro de valores normais com alguns cuidados ao nível do estilo de vida, nomeadamente através de uma dieta equilibrada, rica em fruta e vegetais, como já foi referido, mantendo um peso adequado (o excesso de peso é outro fator de risco para as doenças do coração), tendo uma vida ativa, deixando de fumar e de consumir álcool e sal de forma não regrada. Em relação ao sal, é importante salientar que este está em muitos alimentos, mesmo quando não o adicionamos. Daí ser fundamental aprender a analisar os rótulos dos alimentos que compramos nos supermercados e saber reconhecer que “cloreto de sódio”, “sódio”, “MSG” e “Na” são termos que significam “sal”.

Tanto o colesterol total elevado como a hipertensão podem ser considerados “inimigos invisíveis” do coração, porque ainda antes de dar conta que os temos, eles já estão a prejudicar o coração e todo o sistema cardiovascular. Cada um deve conhecer os valores que para a sua idade e condição física são considerados normais e, para isso, o mais indicado é ir ao médico de família com regularidade. Os enfermeiros de família são também um bom aliado na prevenção das doenças do coração, por terem conhecimentos e competências que lhes permitem ajudar as pessoas a saberem cuidar melhor da sua própria saúde.

O colesterol total elevado e hipertensão arterial são apenas dois fatores de risco para as doenças cardiovasculares, mas são dois fatores de risco modificáveis, ou seja, “está nas nossas mãos” eliminá-los ou pelo menos minimizá-los.

O mês de maio é um mês dedicado à saúde do coração com a Fundação Portuguesa de Cardiologia (FPC) a desenvolver várias campanhas no sentido da promoção da saúde e prevenção das doenças cardíacas.

Ana Luísa Santos | Emília Sarmento | Helena Pereira

Enfermeiras Especialistas em Enfermagem Comunitária

Unidade de Saúde Pública do ACeS Douro I