A Vinha e o Vinho no Desenvolvimento do Território

A importância da Região Demarcada do Douro (RDD) na vitivinicultura nacional e o peso que a vitivinicultura assume para o desenvolvimento do território reforçam o papel do Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, I.P. (IVDP) como centro aglutinador e de conhecimento do território e da respetiva atividade económica.

A prioridade é assegurar o prestígio e notoriedade da Região e isso começa pela certificação, controlo, fiscalização, promoção e proteção das denominações de origem. O objetivo é reforçar continuamente a visibilidade e a internacionalização dos agentes económicos numa estreita ligação com o território e as atividades que nele se enraízam e se consolidam como
forte atrativo e alavanca de desenvolvimento.

– Portugal é o 9.º país no mundo com maior área de vinha e o 11º em termos de produção de vinho;
– A RDD é a principal região vitivinícola de Portugal com 39% da produção de vinhos portugueses
com DOP e 22% da produção total de vinho no nosso país e representa 75% das exportações de vinho com DOP e 50% do total das exportações portuguesas de vinho.

O setor do vinho está intrinsecamente ligado ao do turismo. No primeiro semestre de 2017, as visitas à região do Porto e Norte aumentaram 9% em relação a 2016. Os viajantes vêm sobretudo de França, Reino Unido, Alemanha, Espanha e Holanda, estes países estão entre os primeiros dez mercados do Vinho do Porto que, juntos, representam 90% dos resultados das exportações.

RDD tem vindo a seguir um processo notável de capacitação técnica e humana, de reestruturação das vinhas e de modernização das adegas. Também nas caves do Vinho do Porto, em Vila Nova de Gaia, se tem observado uma forte aposta em melhorias que proporcionam hoje renovadasexperiências aos visitantes. Aproveitando um património vitícola único, de elevada biodiversidade eas tradições vitícolas da região, concordantes com o interesse crescente do mercado mundial pelas castas tradicionais e pelo blending, as marcas têm investido cada vez mais em promoção. Aqui têm um papel fundamental as empresas que se reinventam, apresentam novos tipos de vinhos e promovem diversificadas formas e momentos de consumo. Os hotéis e os projetos de enoturismo têm sabido tirar partido da vinha e do vinho e, pelas atividades que promovem, também vão incrementando a sua importância e confirmando o seu papel no desenvolvimento e na economia do território.

A vinha e o vinho constituem um forte e constante apelo ao investimento e à presença  requente de um consumidor cada vez mais interessado, mais informado, mais curioso e mais fiel.