Alto Douro Vinhateiro na Carta dos Destinos de Excelência

Estamos em plenas vindimas no Douro. Uma época especial do ponto de vista produtivo, mas também económico, ambiente e social. É o culminar de todo um ano de trabalho que se começa a adivinhar.

Um momento único neste território que cruza visitantes, turistas, residentes e trabalhadores – as rogas no corte das uvas e na pisa nos lagares ainda são tradição na região duriense.

É, também, a altura do ano em que melhor podemos confirmar que os produtores de vinha são também produtores de paisagem, num desenho em permanente renovação.

Esta paisagem humanizada do Douro merece, pois, toda a atenção de quem gere o território. E é notório que nos últimos anos tem havido um maior cuidado no edificado e uma maior atenção aos detalhes. Há uma qualificação na arquitetura. Na última década o Prémio Arquitetura do Douro tem posto em evidência o mérito de projetos, a execução e o entendimento dos arquitetos na construção ou recuperação de algumas obras como são exemplo as novas adegas durienses.

Este esforço de qualificação em curso alarga-se, ainda, a toda a rede de aglomerados, sede de concelho. Há um esforço evidente na urbanidade, há a assunção do carácter polarizante dos principais núcleos populacionais, indispensável para que esta região vinhateira se torne mais competitiva, mais atrativa e mais vigorosa. Os atores começam, finalmente, a entender o conceito de uma paisagem cultural, evolutiva e viva…

Tenhamos a noção de que o território e a paisagem (além das pessoas) são os maiores ativos turísticos do Douro!

E é exatamente o turismo a pedra de toque na implementação das políticas da valorização do Alto Douro Vinhateiro. Uma região com importantes ofertas como são o património imaterial, a gastronomia, o Barro Preto de Bisalhães… e o Vinho.

Nos últimos anos temos assistido a um processo de qualificação e de reforço da afirmação dos vinhos do Douro a nível mundial e o enoturismo tem vindo a ganhar uma maior escala e importância na economia duriense. Há que aproveitar esta experiência!

Desde há muito que o Douro integra dois Mapas Mundi: a “Carta dos Melhores Vinhos do Mundo”, onde se inscreve há séculos o Vinho do Porto, e a “Carta do Património Mundial”, onde se integram o Alto Douro Vinhateiro e as Gravuras Rupestres de Foz Côa. Importa trabalhar para mantermos, por pleno direito, este território na “Carta dos Destinos Turísticos de Excelência”.