Dia Internacional da Síndrome de Asperger

0

A Presidente da APSA, Piedade Líbano Monteiro, redigiu um texto em 2020, que começamos por partilhar neste artigo para assinalar o Dia Internacional da Síndrome de Asperger, 18 de fevereiro.

Ser uma Pessoa com Síndrome de Asperger é..

Ser Genuíno..

Não ter filtros para o mundo..

Ser muitas vezes mais inteligente que os outros..

Não ter “saber” para fazer Amigos, mas querer tê-los..

Não estar preparado para as mudanças da vida..

Ser responsável até ao limite…

Trabalhar arduamente no que gosta e no que sabe..

Sentir-se triste e único num mundo cheio de códigos..

Ser Verdadeiro…

 

O que simplesmente precisa é de…

Viver, ser Entendido, ser Amado, ser Respeitado e ter uma Vida com um Futuro..

Para ter as mesmas oportunidades que todos!!

E é simplesmente isto. Explicar, desdramatizar o que é a Síndrome de Asperger é o que APSA faz há 18 anos pelo país e mundo fora. Para ter uma sociedade integrante da diferença é preciso sensibilizar, é preciso perceber quais são as diferenças e a melhor forma de olhar para elas, aceitando-as como parte do ser humano. Neste dia 18 de fevereiro assinala-se o dia internacional desta problemática, uma perturbação do espectro do autismo com um alto nível de funcionamento. Estas pessoas são sensíveis, são humanas e muito transparentes. Não têm maldade, apenas querem ser integradas, mas acima de tudo compreendidas. Vivem de facto num mundo de códigos próprios, mas com a devida atenção e acompanhamento são muitas vezes desmistificados e aceites pela sociedade e empresas. A APSA, através da sua resposta social, capacita pessoas a partir dos 18 anos para o mercado de trabalho. A Casa Grande em Lisboa é o palco desta capacitação, realizando um conjunto vasto de atividades de integração comunitária, treino de competências sociais e autonomia funcional com vista à integração socio profissional destas pessoas. Construindo futuros em conjunto com o jovem, a família e a empresa, este trabalho é mediado por uma equipa técnica especializada alicerçada numa metodologia própria que a APSA desenvolve desde 2014, data de abertura desta resposta social. É todo um trabalho que anda a par com a cada vez mais necessária sensibilização e explicação do que é a Sindrome de Asperger (SA). Prova disso foi mais uma tradução da APSA e consequente lançamento de mais um livro do Tony Attwood, um especialista de renome internacional. O livro chama-se “Pergunte ao Dr. Tony” e pode adquiri-lo nas principais livrarias ou na loja online do site da APSA (www.apsa.org.pt). É preciso informar e formar cada vez mais os agentes de saúde, educação, empresas e a sociedade em geral. A APSA tem um projeto totalmente dedicado a este trabalho de sensibilização “o Projeto Gaivota”. vamos onde formos solicitados para explicar a SA.

O que queremos deixar como desafio neste dia, é que as pessoas sejam mais tolerantes com o próximo, com alguém que reaja de maneira diferente, ou tenha comportamentos fora do padrão. Tentemos compreendê-lo, tentemos acolhê-lo na sua forma de ser, sempre acreditando que ele não consegue vencer obstáculos tal como os outros, mas sim, com colaboração, ajuda técnica e muito sentido de humanidade, enfim nada muito diferente de qualquer um de nós. A diversidade enriquece a nossa vida enquanto pessoas, realça o sentido de cidadania.

E nunca se esqueçam que a síndrome de asperger, “Não está na cara … mas existe!”