Douro sul – há gente cá dentro!

12295015_1025542170831145_1462418590_oNão somos muitos, somos bons!

A valorização e aproveitamento dos nossos recursos é a melhor forma de construirmos futuro!

Para isso precisamos de mais investimento:

Para além de outras formas de atrair investimento, se soubéssemos fazer confluir para esta região extraordinária, as competências dos que, embora fisicamente longe, continuam a ter por aqui os seus corações agarrados a estas vinhas, a estes montes a estes rios, a estes frutedos, a estes caminhos, a estes monumentos, a estes aromas e aos sabores, mas em especial agarrados aos rostos e aos corações dos que por cá resistem, certamente haveria ainda mais futuro.

Pensemos nos muitos que, por esse mundo fora a viverem e a trabalharem, poderiam, com
confiança e apoio dos municípios, apostar em projetos de economia local, não sendo utópica a possibilidade de investirem em negócios de alto valor acrescentado.

E, o que nos impede de ambicionarmos a criação de dinâmicas empresariais no Douro Sul, de alta ciência e tecnologia, em particular na área das biociências?

Por exemplo, no cluster da maçã e outros frutos, como a Baga do Sabugueiro, já trabalhamos na criação de estruturas que lhes acrescentam valor, mas gostaríamos de ir ainda mais longe aproveitando todo o seu potencial, ambicionado-se a sua industrialização por aqui, com vista à sua valorização e criação de postos de trabalho qualificados.

O Douro Sul tem o tamanho do mundo, e tem todas as potencialidades dos territórios únicos e identitários.

Não me canso, sentido-me até com alguma fixação, de reiterar pretensiosamente o que muitos vão materializando, autarcas e outros agentes locais, que a esta região está destinado um futuro promissor.

Para isso precisamos de mais organização:

Desafiando todos para um olhar analítico, ninguém ficará indiferente aos muitos caminhos já percorridos para que possamos hoje, com organização e atitude, edificarmos um tempo de sucesso coletivo.

Afinados que sejam alguns pontos, estamos preparados para concretizar uma estratégia comum em áreas tão estruturantes como: a agricultura, a indústria, o turismo, a saúde, o apoio social e a educação.

Então, o que precisamos acrescentar ao excelente trabalho das Autarquias?

Atitude em escala, afirmação em unidade e definição clara das estratégias coletivas!

Poderá a Associação de Municípios do Vale do Douro Sul estar sozinha como motor deste
propósito?

Penso que não será suficiente e devemos abrir rapidamente as portas à união de esforços das organizações da sociedade, sejam elas de cariz empresarial ou da economia social, abraçando-se de forma decisiva, todas as dinâmicas da vida deste território.

Nada dizendo de novo, objetivamente, mais uma vez, pretensiosamente, pretendo provocar
discussão na sociedade civil, fazendo-nos, a todos nós cidadãos desta região, atores na construção da estrutura organizativa e no desenvolvimento deste território fantástico.

Douro Sul
A cidade que se impõem!

,