O que pensa… Emídio Gomes

É importante promover uma maior informação ao nível local?
É óbvio que para além da informação de nível nacional e internacional que tem sido uma grande aposta no Douro, o envolvimento das populações é essencial para a garantia do seu sucesso. Sem o envolvimento das populações do Douro, por mais que se aposte na promoção, dificilmente seremos bem sucedidos. Daí que haja por parte da CCDR-N duas preocupações: a concentração no próprio Douro de todos os ativos da sua Estrutura de Missão que, pela primeira vez, deixou de ter pessoas no Porto para as concentrar na região do Douro; e, por outro lado, uma enorme aposta da CCDR-N na divulgação local, em articulação com a entidade regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal, com a sua entidade sub-regional e a Estrutura de Missão e com a CIM, de forma envolver todos os agentes locais neste desígnio que é a promoção do Douro.

O VivaDouro é um projeto que faz falta na região?
O VivaDouro é um projeto que, dados os seus mentores, de certeza que faz falta à região. Será uma publicação de prestígio produzida por pessoas muito conceituadas e muito conhecedoras daquilo que são as realidades  e dinâmicas regionais. Daí que todas as iniciativas que vêm por bem, e esta é uma delas, sejam bem-vindas  ao Douro. Seguramente que fazem falta e nunca serão de mais.

Emídio Gomes – presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N)