Portal do Viticultor: uma plataforma tecnológica inovadora

Por Manuel de Novaes Cabral, Presidente do Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, I.P. (IVDP)

Os viticultores da Região Demarcada do Douro têm agora ao seu dispor um novo portal que permite a atualização da informação referente às parcelas de vinha e a simulação da sua classificação.

O Portal do Viticultor é uma plataforma tecnológica inovadora e intuitiva desenvolvida pelo Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, I.P. (IVDP) que dá, assim, mais um passo na modernização e simplificação dos procedimentos administrativos e na aproximação aos viticultores. Possibilita uma maior rapidez e objetividade na resposta, uma vez que, através do Sistema de Informação Geográfica da Vinha da RDD (SIVRDD), permite a obtenção automática da pontuação de quatro fatores: localização, altitude, inclinação e exposição.   A redução dos custos de contexto e uma maior autonomia do viticultor são duas das vantagens a destacar com a implementação desta nova ferramenta.

Senão vejamos. Através do acesso à sua área reservada, o viticultor obtém e transmite toda a informação relacionada com as parcelas de vinha, tendo em consideração a especificidade das Denominações de Origem Porto e Douro, conferindo-se prioridade e continuidade à inovação, à relação de confiança e à autorresponsabilização dos agentes económicos, fatores essenciais para potenciar o dinamismo que a RDD regista e demonstra.

O Portal do Viticultor surge depois da implementação do SIVRDD que, ao uniformizar os critérios de medição das parcelas de vinha, estabilizou a área sobre a qual é calculado o benefício, situação de extrema importância na gestão da Denominação de Origem Porto.

Ao longo do tempo, o IVDP tem vindo a apostar e a investir na modernização e desburocratização dos serviços, tendo avançado já em agosto de 2014 com o cartão de benefício eletrónico, uma ferramenta que permite o acesso simplificado à informação das parcelas de vinha que consta na ficha de exploração e um acesso eletrónico à sua Autorização de Produção (e–AP).

Esta aposta contínua, o trabalho em rede e a articulação com os agentes e as instituições da RDD, posicionam o Douro como uma das regiões vitivinícolas mais dinâmicas e inovadoras do mundo. A prová-lo está o interesse, o reconhecimento e os prémios que a Região e os seus vinhos têm conquistado ao longo dos últimos anos.

Acredito que o dinamismo e a complementaridade entre os diferentes “saber-fazer” garantem que todas as partes estão disponíveis para se envolverem, acompanharem, implementarem e beneficiarem dos processos que têm como objetivo último proporcionar o desenvolvimento sustentável da Região. É para isso que todos trabalhamos!