Quarenta anos ao serviço do Douro e do País

12311349_1025542160831146_1007880568_oA Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro encerrou no início deste mês as celebrações da criação do Ensino Superior no interior Norte. Escolheu como palco o emblemático quartel dos Bombeiros de Vila Real – Cruz Verde, local onde se iniciou a atividade docente do então Instituto Politécnico de Vila Real (IPVR), em dezembro de 1975.

A primeira aula foi lecionada pelo jovem assistente e mais tarde reitor da UTAD, o saudoso professor José Manuel Torres Pereira. Esta aula ficou conhecida por uma frase que marcou para sempre a Academia: “…vamos fazer experiências de biologia no quadro…”. Na verdade, na sua génese a Universidade iniciou a sua atividade em diversos edifícios simbólicos da cidade, como as instalações da Autarquia, o antigo DRM, o Arquivo Distrital, o quartel, entre outros espaços. A cidade e a região deram numerosas provas destinadas a acolher o ensino superior. A título de exemplo, o engenheiro Cardoso Simões, membro da primeira Comissão Instaladora do IPVR, referiu que na época até os partidos políticos mostraram disponibilidade para ceder espaços destinados ao ensino.

Hoje, a UTAD está instalada num laboratório evolutivo e vivo, um Jardim Botânico de beleza impar, que integra múltiplos locais de condições ecológicas diversas. Trata-se de um local onde as experiências acrescentam o conhecimento da vegetação e sua articulação com as unidades espaciais.

Ao longo de um vasto ciclo de comemorações, a UTAD prestou a homenagem à cidade de Vila Real e, nesta, a toda a região do Interior Norte e às suas gentes, que desde sempre colocaram a sua hospitalidade ao dispor da Academia. As comemorações permitiram expressar o reconhecimento a todos os que, ao longo de quatro décadas, acreditaram nesta instituição e no seu papel no desenvolvimento da região. Contudo, a conhecida complexidade que se vive em Portugal, exige que os diferentes atores da região continuem a apoiar uma instituição que representa uma âncora de fixação de população e de criação de emprego, e a reforçar o seu papel na diminuição das assimetrias regionais.

Por isso, a aposta nas Universidades do “arco do interior” é determinante para que as forças centrípetas se sobreponham às centrífugas e assim, se consiga um desenvolvimento regional mais equilibrado. Momentos comemorativos como estes levam-nos a acreditar que com o empenho, o trabalho, a determinação e a força de vontade de todos podemos progredir e reforçar a presença da UTAD, na cidade, na região e no país. Daí que seja crucial consolidar novos formatos e novas dinâmicas de articulação da Universidade com a região.

Por António Fontainhas Fernandes, Reitor da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD)

,