UTAD concedeu Honoris Causa ao Presidente da Junta da Galiza

A UTAD decidiu atribuir o grau de doutor honoris causa a Alerto Nuñez Feijóo, que preside ao Governo Autonómico Galego, desde 2009. Não sei se a decisão da UTAD surpreendeu alguém, mas posso afirmar que reuniu uma grande unanimidade tanto entre académicos como em figuras relevantes no Norte de Portugal, para além de ter sido muito bem recebida na Galiza.

O Prof. Ramón Villares, antigo reitor da Universidade de Santiago e actual Presidente do Conselho da Cultura Galega, encarregado do Laudatio do doutorando, interpretou o gesto da UTAD como um acto de reconhecimento da relação de amizade que tem vindo a ser construída entre as administrações regionais das duas regiões. Mas também considerou que tal atitude é uma forma de sublinhar a importância estratégica da aproximação desenvolvida pelas respectivas instituições regionais, nos últimos 30 anos. Assim, saem exaltadas Cultura e História com traços de grande paralelismo. Tudo isto faz sentido, quando esta aproximação abre oportunidades de natureza económica, social e cultural, para as gentes que vivem em ambos os lados da fronteira comum.

Em contexto ibérico, o interior deste velho território do Noroeste Peninsular foi sendo penalizado pelo isolamento a que as grandes distâncias aos lugares centrais o foram votando. Porém, as muitas características comuns, em termos de orografia difícil e de temperaturas extremas, determinaram gentes que, apesar da dureza física dos elementos, se conseguiram entender. Para que as afinidades se manifestassem, foi necessário que as condições favoráveis surgissem. Foi isso que aconteceu a partir da adesão conjunta de Portugal e Espanha à Europa Comunitária, em 1986, desfazendo o tradicional posicionamento das administrações de Lisboa e Madrid, que alimentaram uma incompreensível atitude de costas voltadas, durante séculos.

Ramón Villares evocou Torga, recordando que os elementos comuns entre terras transmontanas e galegas são responsáveis por terem gerado gentes esforçadas, que possuem “a autoridade que emana da força interior que cada um trás do seu berço”.

Concluiu considerando que a UTAD, ao atribuir esta honra a um líder político galego, teve um gesto generoso e muito coerente com a prática institucional de aproximação virtuosa das duas regiões, para superar fronteiras e desenhar políticas comuns, úteis às suas gentes.

Curiosamente, definiu Alberto Nuñez Feijóo com sendo um produto das oportunidades geradas pelas autonomias regionais, alguém que experimentou responsabilidades técnicas progressivas, sempre de forma competente, até alcançar com mérito próprio a máxima responsabilidade política da Galiza. Enfim, na palavras de Ramón Villares, “o seu percurso público é o resultado da janela de oportunidades aberta pela descentralização autonómica”. Esta foi uma mensagem subtil mas muito certeira, especialmente dirigida para os que ainda têm dúvidas sobre as vantagens da regionalização em Portugal.